Arquivo

Arquivo da Categoria ‘Serviços Especializados’

Reciclagem de Bombeiro Profissional Civil

De 24 a 28 de julho o técnico de segurança do trabalho Juliano de Oliveira Momesso realizou mais uma reciclagem de bombeiro civil na Cetseg – Escola de Bombeiros Civis, na cidade de Sumaré (SP). Na oportunidade, foi-lhe possível ter contato com novos equipamentos, técnicas e procedimentos no combate a incêndio, técnicas de resgate em altura, espaço confinado, atendimento a acidentes com produtos perigosos e também orientações de primeiros socorros.

As reciclagens são de extrema importância, pois permitem a troca de experiência com outros bombeiros que atuam em diversas áreas, desde indústrias químicas até ambientes de shopping centers, além do que todo esse conhecimento é repassado aos brigadistas de incêndio e emergências do hospital nos treinamentos realizados ao longo do ano.

Juliano de Oliveira Momesso, técnico de segurança do trabalho e bombeiro civil do Instituto Bairral de Psiquiatria.

Juliano de Oliveira Momesso, técnico de segurança do trabalho e bombeiro civil do Instituto Bairral de Psiquiatria.

Participantes da reciclagem de bombeiro civil na Cetseg.

Participantes da reciclagem de bombeiro civil na Cetseg.

 

Enfermeiros da Comissão de Curativos realizam capacitação de atualização teórica e prática visando à padronização de protocolo institucional

Nos dias 21 e 22 de junho teve lugar no Centro de Educação Continuada do Instituto Bairral de Psiquiatria treinamento oferecido aos enfermeiros, auxiliares e técnicos de enfermagem com o objetivo de aprimorar o conhecimento na área, praticar adequadamente as técnicas de curativo e padronizar e implantar protocolo de prevenção e tratamento, visando a instrumentalizar as ações dos profissionais e sistematizar a assistência de enfermagem aos nossos pacientes.

No último ano o Grupo de Curativos se empenhou na criação dos impressos e documentos que formalizam esse atendimento, padronizando as etapas de avaliação e conduta a serem seguidas mediante um fluxograma institucional.

O treinamento foi dividido em duas etapas: teórica e de abordagem prática. A explanação da teoria contemplou tópicos de atualização e reciclagem de conhecimento, tais como funcionamento do grupo, atribuições da equipe de enfermagem, apresentação Protocolo Operacional Padrão (POP), revisão da anatomia, processo cicatricial, prevenção e tratamento das lesões.

A abordagem prática foi realizada de forma dinâmica, utilizando bonecos para simular o manejo dos materiais e técnicas de curativos limpo e estéril. Esse momento de aprendizado, esclarecimento de dúvidas e simulação da realidade contribui para que o atendimento real ao paciente seja executado com total segurança, aliando conhecimento teórico à técnica prática, em busca do sucesso da terapia.

A enfermagem tem evoluído enquanto profissão neste contexto, sendo o enfermeiro capaz de avaliar e planejar o cuidado mais adequado ao paciente portador de feridas, além de orientar e supervisionar a equipe na realização das técnicas. Vale ressaltar que o trabalho em equipe, o conhecimento teórico e as técnicas realizadas com responsabilidade e amor são condições fundamentais para o sucesso terapêutico.

Alguns dos participantes durante o treinamento.

Alguns dos participantes durante o treinamento.

Enfermeira Roberta Inácio do Couto Rossi orientando sobre os procedimentos necessários.

Enfermeira Roberta Inácio do Couto Rossi orientando sobre os procedimentos necessários.

Enfermeira Natália Maria de Oliveira orientando sobre os procedimentos necessários.

Enfermeira Natália Maria de Oliveira orientando sobre os procedimentos necessários.

Abordagem prática.

Abordagem prática.

Enfermeira Camila da Costa Parentoni Martins, enfermeiro Marco André Theodoro, enfermeira Daniela Juliana Mistro Fuini e enfermeiro Jonas Felipe Claudino - alguns dos integrantes do Grupo de Curativos.

Enfermeira Camila da Costa Parentoni Martins, enfermeiro Marco André Theodoro, enfermeira Daniela Juliana Mistro Fuini e enfermeiro Jonas Felipe Claudino – alguns dos integrantes do Grupo de Curativos.

O Centro de Pesquisas Sinapse-Bairral terá pesquisa publicada em uma das mais renomadas revistas científicas do mundo na área de psiquiatria

No dia 7 de junho um estudo desenvolvido integralmente no Instituto Bairral de Psiquiatria foi aceito para publicação na Biological Psychiatry, revista científica americana com um dos maiores impactos na área de psiquiatria. A equipe do Centro de Pesquisas Sinapse-Bairral foi o primeiro grupo no mundo a demonstrar a eficácia da cetamina injetável no tratamento de pacientes com depressão psicótica. Nossos pesquisadores também foram os primeiros a demonstrar a eficácia da administração de cetamina por via subcutânea no tratamento em uma amostra de pacientes com depressão psicótica e transtorno esquizoafetivo do tipo depressivo. A publicação de tal pesquisa em revista de tão elevada repercussão científica é em grande parte explicada pelo pioneirismo do nosso grupo de pesquisas, que inovou uma técnica recentemente desenvolvida a partir da demonstração da eficácia em novas indicações e utilizando uma via de administração mais simples e segura.

Um dos idealizadores do Instituto Sinapse, o Dr. Acioly Luiz Tavares de Lacerda, dedica-se a atendimentos em Psiquiatria Clínica e Neuropsiquiatria, além de atuar nas áreas de Ensino e Pesquisa.

Um dos idealizadores do Instituto Sinapse, o Dr. Acioly Luiz Tavares de Lacerda, dedica-se a atendimentos em Psiquiatria Clínica e Neuropsiquiatria, além de atuar nas áreas de Ensino e Pesquisa.

Treinamento de Reciclagem em Primeiros Socorros para Brigadistas do Instituto Bairral

Brigada de Incêndio e Emergência do Instituto Bairral de Psiquiatria, coordenada pelo técnico de segurança do trabalho e bombeiro civil Juliano de Oliveira Momesso, realizou em 3 e 10 de junho mais um treinamento de primeiros socorros voltado para os integrantes da Brigada de Incêndio e Emergência.

Os 26 brigadistas que participaram do treinamento realizaram atividades de forma teórica e prática, conseguindo colocar em prática nas oficinas tudo que aprenderam na teoria, conforme o conteúdo programático:

  • Avaliação de cena;
  • Avaliação inicial;
  • Retirada de capacete;
  • Chave de Rautek;
  • Colocação de colar cervical;
  • Movimentação e transporte de vítimas em pranchas de resgate.

O treinamento atingiu plenamente seus principais objetivos, qualificando a brigada conforme determinam a IT 17 do Corpo de Bombeiros, a NBR 1.427 e a NBR 14.608 da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e os brigadistas com relação aos procedimentos de primeiros socorros, possibilitando assim uma ação rápida e eficaz no caso de uma ocorrência real.

Foi também de suma importância por permitir aos brigadistas apontarem as principais dificuldades encontradas durante essa atividade.

Treinamento de primeiros socorros.

Treinamento de primeiros socorros.

Realização de atividades práticas.

Realização de atividades práticas.

Realização de atividades práticas.

Realização de atividades práticas.

Alguns dos brigadistas que participaram do treinamento.

Alguns dos brigadistas que participaram do treinamento.

23.° Congresso da World Sexual Health Association (WAS) 2017

A Dra. Alessandra Diehl, preceptora da residência médica em psiquiatria do Instituto Bairral e atual presidente do Centro de Estudos Psiquiátricos Américo Bairral (Cepab), foi uma das palestrantes no 23.° Congresso da World Sexual Health Association (WAS), evento realizado em Praga, capital da República Checa, entre 28 e 31 de maio. Ela conta que a atividade da qual participou foi um dos simpósios da Sociedade Brasileira de Sexualidade Humana (Sbrash) a convite do seu presidente, o psicólogo Itor Finotelli Júnior. A Dra. Alessandra esteve lá para falar sobre os dados inéditos de um estudo epidemiológico populacional brasileiro a respeito do uso de substâncias e violência entre as minorias sexuais do Brasil. Os dados revelam que entre as minorias sexuais brasileiras a violência começa cedo na vida e persiste durante a fase adulta; acredita-se que estas sejam algumas das vulnerabilidades que podem justificar a maior probabilidade de uso de determinadas drogas desta população.

A Dra. Alessandra contou que o congresso reuniu cerca de 700 especialistas do mundo todo de áreas afins bastante variadas, tais como a clínica, educação, pesquisa e advocacy em saúde sexual e sexualidade, sendo que o Brasil teve a segunda maior delegação, com 45 participantes nesta edição do conclave. Estiveram presentes colegas do Projeto Afrodite da Unifesp, do Protig do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, a diretoria da Sbrash e membros da equipe do grupo de pesquisa em sexualidade CNPQ da Unisal, do qual a Dra. Alessandra também faz parte, entre outros.

Dentre os temas que mais a encantaram, apontou as experiências bem sucedidas de educação sexual nas escolas da Suécia e Finlândia, nas quais existe claramente a evidência de que a educação sexual posterga a iniciação sexual dos jovens; destacou também um programa de saúde sexual on line destinado a imigrantes e refugiados na Alemanha. Salientou ainda que a educação sexual pode ser iniciada já nos primeiros anos escolares com introdução de conceitos como respeito, cuidados com o corpo, privacidade, raças e amor até a introdução de outros assuntos na adolescência para além da dimensão biológica já classicamente introduzida pelos professores, tais como gênero e orientação sexual, por exemplo.

Dra. Alessandra Diehl, psiquiatra e sexóloga do Instituto Bairral, com os demais partipantes da mesa redonda que representou a Sbrash na WAS 2017.

Dra. Alessandra Diehl, psiquiatra e sexóloga do Instituto Bairral, com os demais partipantes da mesa redonda que representou a Sbrash na WAS 2017.