Arquivo

Arquivo da Categoria ‘Simpósio’

Prêmio de mostra competitiva de vídeos no Congresso Brasileiro de Psiquiatria de 2016 é novamente do Bairral

Pelo segundo ano consecutivo os médicos-residentes de psiquiatria do Instituto Bairral do segundo ano de residência levaram o primeiro lugar na mostra competitiva de vídeos no XXXIV Congresso Brasileiro de Psiquiatria promovido pela Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP) em São Paulo (SP), de 16 a 19 de novembro de 2016. O vídeo vencedor foi elaborado pelos R2 Drs. Maria Elisa Bezerra, Paulo Roberto Santana, Flávio Henrique de Simioni, Luana Martinez, Alfredo Piacentin e Leonardo Afonso dos Santos, sob o incentivo e supervisão da Dra. Alessandra Diehl (médica psiquiatra e preceptora da residência em psiquiatria do Instituto Bairral). Trata-se de um documentário de pouco menos de 20 minutos intitulado “Destinos Incertos”, no qual é retratada uma realidade nacional infelizmente bastante comum nos últimos 20 anos com o fechamento compulsório de leitos de hospitais psiquiátricos públicos no Brasil. O documentário faz um paralelo com a história da assistência psiquiátrica no mundo e em nosso país, assim como, de forma bastante didática, explicita o que a Lei 10.216 é de fato e o que ela não é na prática. Contribuíram com a participação de imagem no documentário o Dr. Agenor Pares de Lima, Diretor der Relações Externas do Instituto Bairral, que falou sobre a necessidade do trabalho em rede e na manutenção de bons leitos psiquiátricos, o Dr. Sérgio Tamai, sobre o efeito colateral do fechamento de leitos psiquiátricos, e o Dr. Rafael Lopes sobre a Lei 10.216 como um marco regulatório no cenário da psiquiatria. A comissão julgadora da mostra de vídeo do congresso destacou que o documentário vencedor poderia servir de modelo para as outras residências médicas do Brasil, uma vez que conseguiu, de forma bastante didática e resumida, retratar esse tema, que precisa chegar ao conhecimento de todos os médicos psiquiatras em formação do nosso país.

Dr. Marcelo Ortiz, Dra. Alessandra Diehl, Dr. Marcelo Adelino, Dr. Milan Mitrovich, Dr. Elton Rezende, Dr. Elias Ajub Neto, Dr. Lucas Passos Theodoro , Dr. Rafael Lopes, Dr. Oscar Rudge Taylor de Brito, Dr. Fernado Zezza, Dra. Mirelle Rezende entre os residentes do primeiro, segundo e terceiro ano no Bairral.

Dr. Marcelo Ortiz, Dra. Alessandra Diehl, Dr. Marcelo Adelino, Dr. Milan Mitrovich, Dr. Elton Rezende, Dr. Elias Ajub Neto, Dr. Lucas Passos Theodoro , Dr. Rafael Lopes, Dr. Oscar Rudge Taylor de Brito, Dr. Fernado Zezza, Dra. Mirelle Rezende entre os residentes do primeiro, segundo e terceiro ano no Bairral.

Dra. Alessandra Diehl ( preceptora da residência médica me psiquiatria do Bairral) e a Dra. Maria Elisa Bezerra ( Residente do segundo ano do Bairral) segurando o prêmio recebido.

Dra. Alessandra Diehl ( preceptora da residência médica me psiquiatria do Bairral) e a Dra. Maria Elisa Bezerra ( Residente do segundo ano do Bairral) segurando o prêmio recebido.

O uso de drogas e a adolescência

Os médicos-residentes do Instituto Bairral e a médica psiquiatra Dra. Alessandra Diehl, preceptora da residência médica do hospital, participaram no dia 24 de novembro de um simpósio organizado pela Associação Brasileira de Estudos de Álcool e Outras Drogas (ABEAD) em parceria com a Universidade de Campinas (Unicamp). O tema discutido durante o evento foi “O uso de drogas e a adolescência”.  Falou-se bastante sobre vulnerabilidade, mas também sobre a adolescência como uma janela de oportunidades para intervenções e formações. Nesse dia produtivo os participantes atualizaram-se sobre a epidemiologia do consumo de substâncias entre adolescentes do Brasil, que mostra clara tendência de meninas adolescentes estarem usando álcool e drogas em padrões semelhantes aos dos meninos. Também aprofundaram conhecimentos sobre prevenção na escola, identificação precoce e rastreio, na Unidade Básica de Saúde, de alterações e quadros psicopatológicos na infância e na adolescência que predispõem a um maior risco de uso/experimentação/abuso, como o transtorno de conduta, depressão, transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDHA) e consequente desenvolvimento de dependência nessa população. A mensagem clara do evento foi a de que nossos esforços devem se mobilizar no sentido de trabalhar na prevenção primária para evitar ou postergar a experimentação, visto que o consumo de drogas durante a adolescência pode trazer consequências bastante graves para a vida do jovem, que ainda está em processo de formação e, portanto, é mais vulnerável.

Médicos-residentes do Instituto Bairral juntamente com a Dra. Alessandra Diehl e o Dr. Ângelo Campana, atual presidente da ABEAD.

Médicos-residentes do Instituto Bairral juntamente com a Dra. Alessandra Diehl e o Dr. Ângelo Campana, atual presidente da ABEAD.

O que é que eu vi no CBP ouro!

O XXXIV Congresso Brasileiro de Psiquiatria (CBP), que ocorreu entre os dias 16 a 19 de novembro em São Paulo (SP), no Expo Center Transamérica, foi organizado pela Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), a qual neste ano está orgulhosamente comemorando 50 anos de sua fundação. Os médicos psiquiatras do Instituto Bairral de Psiquiatria e do Centro de Estudos Psiquiátricos Américo Bairral (Cepab), uma das federadas paulistas da ABP, estiveram em sua maioria presentes neste ano. O congresso reuniu mais de 5 mil médicos de todo o Brasil e da América Latina, além de outros convidados internacionais de vários locais do mundo, e foi cognominado CBP Gold por sua importância e pelo seu caráter comemorativo.

Quando perguntado aos psiquiatras do Instituto Bairral o que eles viram de mais interessante neste evento, eles foram unânimes em dizer que foi dificil escolher apenas uma atividade científica para presenciar, uma vez que várias atividades igualmente de alto nível estavam ocorrendo simultaneamente. Seguem algumas impressões:

O Dr. Milan Mitrovich (psiquiatra e preceptor da residência médica do 2.° Andar da Seção Masculina – Prédio Central – do Bairral) fala que gostou das palestras sobre autismo e entusiasmou-se com o avanço das intervenções psicossociais nessa área.

A Dra. Alessandra Diehl (psiquiatra e preceptora do 4.° Andar da Seção Feminina) disse que o que mais gostou foi ter assistido à palestra do Dr. Benício Frey sobre os fármacos durante a gestação e puerpério, tendo feito o seguinte comentário: “Pude atualizar algumas evidências cinetíficas mais recentes sobre este delicado tema, e, sobretudo, a palestra me deu embasameto para mudar a minha prática com mais segurança.”

O Dr. Paulo Roberto Santana (médico-residente R2 do Bairral) conta que priorizou as palestras sobre políticas públicas em saúde mental. Ficou algo surpreso quando soube que o Ministério da Saúde, na sua area de atuação em saúde mental, encontra-se há mais de 6 meses sem um psiquiatra em sua Câmara Técnica. Ele acredita que a “propaganda antipsiquiatria” não seja apenas um fenômemo nacional, mas com dimensões semelhantes também em outros lugares do mundo, como apontado pela atual presidente da Associação Americana de Psiquaitria (APA), Dra. Maria Oquendo.

A Dra. Nathalia Saldanha (R1 do Bairral) menciona com alegria as palestras sobre cinema que assistiu, principalmente uma delas sobre “Medical Humanities”, na qual o palestrante falou sobre a vida, obra e sintomas de Vincent Van Gogh.

A Dra. Maria Elisa Bezerra (R2 do Bairral) comentou as atualizações no tocante ao transtorno afetivo bipolar. O Dr. Alfredo Piacentin (R2 do Bairral) gostou muito das palestras sobre o tratamento da insônia; a Dra. Érica Maia (R3 do Bairral) apreciou bastante os temas de psicoterapia; e a Dra. Luana Martinez (R2 do Bairral) esteve aproveitando as palestras sobre psicogeriatria.

Todos mencionaram que o CBP Gold vai deixar saudade. Até 2017!

Na foto: os psiquiatras Dra. Alessandra Diehl e Dr. Rafael Lopes e os residentes de psiquiatria Dr. Paulo Santana, Dra. Maria Elisa Bezerra, Dra. Nathalia Saldanha, Dra. Larissa Fusco, Dra. Luana Martinez, Dra. Erica Maia, Dr. Roger Lovera, Dr. Rafael Manrique, Dr. Iuri Barbieri e Dra. Nicole Nunes.

Na foto: os psiquiatras Dra. Alessandra Diehl e Dr. Rafael Lopes e os residentes de psiquiatria Dr. Paulo Santana, Dra. Maria Elisa Bezerra, Dra. Nathalia Saldanha, Dra. Larissa Fusco, Dra. Luana Martinez, Dra. Erica Maia, Dr. Roger Lovera, Dr. Rafael Manrique, Dr. Iuri Barbieri e Dra. Nicole Nunes.

Declaração de Mallorca reconhece a Comunidade Terapêutica como uma das abordagens mais eficazes para a reabilitação e reinserção dos dependentes químicos e suas famílias em todo o mundo

O WFTC (Federação Mundial das Comunidades Terapêuticas) é uma associação internacional que tem por objetivo reunir e apoiar o amplo movimento global das CTs em todo o mundo. O WFTC fornece cooperação, compreensão e orientação.

A Declaração de Mallorca foi aprovada em 3 de dezembro de 2016, na cidade de Palma de Mallorca, na Espanha, no âmbito da celebração do V Instituto da Federação Mundial de Comunidades Terapêuticas (WFTC), organizado pelo projeto Início Baleares e Associação Projeto Homem. Participaram mais de 150 especialistas em dependência química e comunidades terapêuticas de 26 países. Maurício Landre, Coordenador Técnico da CT Santa Carlota, um serviço do Instituto Bairral de Psiquiatria, foi um dos representantes brasileiros. Essa Declaração é o resultado de três dias de deliberações e contribuições de grupos de trabalho sob a liderança do Conselho da WFTC e membros do Comitê Científico do Instituto.

A Declaração de Mallorca é baseada em um conjunto de ações, recomendações e acordos sobre cuidados universais, tratamento, reabilitação e reinserção social da população de adictos, que inclui a prevenção da dependência química, a fim de implementá-las nos próximos dez anos, até 2026. A Declaração foi criada em 2010 na cidade italiana de Gênova durante o Instituto WFTC IV, organizado pelo CEIS Genoa.

A Declaração de Mallorca reconhece a Comunidade Terapêutica como um dos procedimentos de  reabilitação mais eficazes de  reinserção de dependentes químicos e suas famílias em todo o mundo.

Todos os participantes se comprometem a realizar as ações e recomendações expressas na Declaração e movê-las para suas comunidades terapêuticas e o resto da comunidade regional e internacional.

PRINCÍPIOS GERAIS

A Declaração de Mallorca foi preparada sob os seguintes princípios gerais:

COMPROMISSO COM AS PESSOAS

O trabalho das CTs é totalmente focado em fornecer o melhor serviço para aqueles que sofrem por causa de sua adicção, bem como para o seu ambiente social e familiar e suas comunidades em todo o mundo. Também estamos comprometidos com a Declaração Universal dos Direitos Humanos, a Declaração dos Direitos da Criança e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

INOVAÇÃO
Reconhece a eficácia dos elementos essenciais das comunidades terapêuticas e a ampla variedade de metodologias e abordagens adaptados para as CTs de cada região do mundo. A pesquisa e a evidência prática com base são reforçadas.

PARTICIPAÇÃO
A Declaração foi adotada pelos participantes do Instituto WFTC V, na sequência de um processo sistemático e participativo, com consenso e transparência.

ALCANCE
As propostas da Declaração são específicas, claras e mensuráveis. As conclusões são realistas, exequíveis e acessíveis.

DIVULGAÇÃO
A difusão ativa desta Declaração será feita para todas as CTs. Também será divulgada a todos os interessados em níveis local, nacional e internacional, instituições da sociedade civil, organizações profissionais, sociedade civil organizada e famílias.

PRINCIPAIS QUESTÕES

As CTs atendem a uma ampla variedade de perfis de dependentes químicos, e destacam, especificamente, o aumento de grupos em situação de vulnerabilidade como mulheres, crianças, pessoas em situação de rua, pessoas com HIV, hepatite C, comorbidades e apenados.

As intervenções devem ser adaptadas às necessidades dos usuários e sua diversidade cultural, econômica, social e religiosa.

É essencial que os representantes de organizações internacionais e regionais, governos, sociedade civil e do setor privado reconheçam o papel do movimento das Comunidades Terapêuticas na resolução de problemas relacionados com o álcool e outras drogas e o consequente sofrimento dos usuários e seus familiares. As CTs estão na luta contra a estigmatização da população usuária de álcool e outras drogas.

As CTs estão introduzindo dispositivos de rastreamento para melhorar a reinserção social dos usuários. Esta monitorização é essencial para reduzir episódios de recaída.

Famílias e outras redes sociais tornam-se fatores-chave durante o tratamento na CT e devemos incentivar a sua participação neste processo.

A promoção da investigação e de resultados baseados em evidências científicas é crucial para a sustentabilidade das CTs. Também convidamos todas as organizações a participar na publicação de artigos científicos e em colaboração com a comunidade acadêmica e de pesquisa.

Apelamos ao WFTC e todos os seus membros para realizar estudos de custo-benefício para demonstrar o valor do modelo de CT para as partes interessadas.

Reconhecemos que a transparência e a responsabilidade são aspectos fundamentais do funcionamento das organizações. Estes são os pré-requisitos para a obtenção e manutenção da credibilidade dos governos e da sociedade civil organizada.

Em muitos países as CTs são subfinanciadas. Nós encorajamos os políticos para apoiar as CTs responsáveis porque fornecem uma ajuda insubstituível para a recuperação de dependentes químicos. É urgente diversificar os recursos e explorar alternativas de financiamento.

O WFTC irá reforçar a presença e movimento a favor da CT nas organizações e fóruns internacionais, em colaboração com as federações e redes da sociedade civil regionais.

Nós reconhecemos que as equipes das CTs necessitam de treinamento e educação continuada, orientação, assistência e supervisão externa. Você deve cuidar do bem-estar dos funcionários para minimizar a possibilidade de ocorrência de esgotamento e/ou exaustão dos mesmos.

A liderança da CT deve ser inspiradora, transparente e servir a comunidade e organizações. O movimento das CTs está evoluindo para novos modelos de liderança organizacional. A renovação dos líderes é muito importante e pode ser alcançada por meio de planos de sucessão cuidadosamente projetados.

Comunidades Terapêuticas requerem equipes interdisciplinares de profissionais, incluindo os profissionais com experiência vital para lidar com a complexidade da dependência do álcool e outras drogas dentro de um modelo biopsicossocial. A identidade do pessoal CT encontra-se em uma combinação de profissionalismo, dedicação ao serviço e paixão para ajudar as pessoas.

Divulgação através da internet e redes sociais é indispensável para aumentar a conscientização da sociedade sobre os efeitos e as consequências causadas pelo uso de drogas. Este tipo de difusão também ajuda a aumentar a visibilidade da eficácia do modelo da CT.

CONCLUSÃO

Esta Declaração reafirma o compromisso do movimento das CTs para servir e tratar dos dependentes químicos e seu ambiente social e familiar em todo o mundo, restaurando a esperança, dignidade e bem-estar pessoal.

Palma de Mallorca, 3 de dezembro de 2016

Sushma Taylor Jesus Mullor

Presidente da Federação Mundial de Comunidades Terapêuticas

V Comissão Científica do Instituto WFTC

Tradução: - Piti Hauer

Tradução: – Piti Hauer

Comunidade Terapêutica Rural Santa Carlota estará representada no V Instituto da Federação Mundial de Comunidades Terapêuticas

O Coordenador Técnico da Comunidade Terapêutica Rural Santa Carlota (Programa do Instituto Bairral de Psiquiatria) Maurício Landre foi convidado para representar as comunidades terapêuticas do Brasil no V Instituto da Federação Mundial de Comunidades Terapêuticas (V WFTC Mallorca 2016), que acontecerá em Palma de Maiorca, na Espanha, de 30 de novembro a 3 de dezembro, organizado pelas Associações Projectehome Balears e Proyecto Hombre. O convite partiu da FEBRACT –  Federação Brasileira de Comunidades Terapêuticas.

O evento reunirá líderes especialistas históricos e emergentes em comunidade terapêutica de todo o mundo, que têm como grande objetivo em comum tornar possível que uma pessoa possa se libertar das drogas, e terá como documento básico para os fóruns de discussão a Declaração de Gênova”, formulada em 2010 em Gênova, na Itália, quando lá se reuniram mais de 250 especialistas, entre os quais se achava Maurício Landre.

“Somos testemunhas de um mundo que vem sofrendo mudanças estruturais rápidas, que vão desde o rompimento com normas sociais aceitas e acordadas, ou simplesmente aceitas, até as vendidas pelo ‘canto da sereia’ da gratificação imediata”, diz Maurício, que complementa: “Novas drogas estão surgindo. A internet e a velocidade do mundo digital têm manifestado preocupação que, em conjunto com a violência urbana, fazem com que a existência de comunidades terapêuticas seja mais necessária do que nunca.”

Entre os membros do Comitê Científico do encontro estará presente o PhD George De Leon, maior pesquisador em comunidades terapêuticas no mundo. Além do coordenador da CT Santa Carlota, farão parte da delegação brasileira o Presidente da Federação Brasileira de Comunidades Terapêuticas, Luís Roberto Chaim Sdóia, e a Diretora e Coordenadora do Programa Além da Rua do Instituto Padre Haroldo, Lúcia Sdóia, que estarão discutindo temas importantes para o futuro das CTs.

Com certeza teremos muitas contribuições a dar no conclave com vários exemplos exitosos, principalmente com o modelo adotado pelo Estado de São Paulo junto ao SUS e ao Instituto Bairral de Psiquiatria, que decidiram investir no modelo que trabalha os vínculos e o estilo de vida capaz de auxiliar o paciente na sua reinserção social.

Maurício Landre, Coordenador Técnico da Comunidade Terapêutica Rural Santa Carlota (Programa do Instituto Bairral de Psiquiatria) foi convidado para representar as comunidades terapêuticas do Brasil no V Instituto da Federação Mundial de Comunidades Terapêuticas (V WFTC Mallorca 2016).

Maurício Landre, Coordenador Técnico da Comunidade Terapêutica Rural Santa Carlota (Programa do Instituto Bairral de Psiquiatria) foi convidado para representar as comunidades terapêuticas do Brasil no V Instituto da Federação Mundial de Comunidades Terapêuticas (V WFTC Mallorca 2016).

logo