Arquivo

Posts Tagged ‘Instituto Bairal’

Prêmio de mostra competitiva de vídeos no Congresso Brasileiro de Psiquiatria de 2016 é novamente do Bairral

Pelo segundo ano consecutivo os médicos-residentes de psiquiatria do Instituto Bairral do segundo ano de residência levaram o primeiro lugar na mostra competitiva de vídeos no XXXIV Congresso Brasileiro de Psiquiatria promovido pela Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP) em São Paulo (SP), de 16 a 19 de novembro de 2016. O vídeo vencedor foi elaborado pelos R2 Drs. Maria Elisa Bezerra, Paulo Roberto Santana, Flávio Henrique de Simioni, Luana Martinez, Alfredo Piacentin e Leonardo Afonso dos Santos, sob o incentivo e supervisão da Dra. Alessandra Diehl (médica psiquiatra e preceptora da residência em psiquiatria do Instituto Bairral). Trata-se de um documentário de pouco menos de 20 minutos intitulado “Destinos Incertos”, no qual é retratada uma realidade nacional infelizmente bastante comum nos últimos 20 anos com o fechamento compulsório de leitos de hospitais psiquiátricos públicos no Brasil. O documentário faz um paralelo com a história da assistência psiquiátrica no mundo e em nosso país, assim como, de forma bastante didática, explicita o que a Lei 10.216 é de fato e o que ela não é na prática. Contribuíram com a participação de imagem no documentário o Dr. Agenor Pares de Lima, Diretor der Relações Externas do Instituto Bairral, que falou sobre a necessidade do trabalho em rede e na manutenção de bons leitos psiquiátricos, o Dr. Sérgio Tamai, sobre o efeito colateral do fechamento de leitos psiquiátricos, e o Dr. Rafael Lopes sobre a Lei 10.216 como um marco regulatório no cenário da psiquiatria. A comissão julgadora da mostra de vídeo do congresso destacou que o documentário vencedor poderia servir de modelo para as outras residências médicas do Brasil, uma vez que conseguiu, de forma bastante didática e resumida, retratar esse tema, que precisa chegar ao conhecimento de todos os médicos psiquiatras em formação do nosso país.

Dr. Marcelo Ortiz, Dra. Alessandra Diehl, Dr. Marcelo Adelino, Dr. Milan Mitrovich, Dr. Elton Rezende, Dr. Elias Ajub Neto, Dr. Lucas Passos Theodoro , Dr. Rafael Lopes, Dr. Oscar Rudge Taylor de Brito, Dr. Fernado Zezza, Dra. Mirelle Rezende entre os residentes do primeiro, segundo e terceiro ano no Bairral.

Dr. Marcelo Ortiz, Dra. Alessandra Diehl, Dr. Marcelo Adelino, Dr. Milan Mitrovich, Dr. Elton Rezende, Dr. Elias Ajub Neto, Dr. Lucas Passos Theodoro , Dr. Rafael Lopes, Dr. Oscar Rudge Taylor de Brito, Dr. Fernado Zezza, Dra. Mirelle Rezende entre os residentes do primeiro, segundo e terceiro ano no Bairral.

Dra. Alessandra Diehl ( preceptora da residência médica me psiquiatria do Bairral) e a Dra. Maria Elisa Bezerra ( Residente do segundo ano do Bairral) segurando o prêmio recebido.

Dra. Alessandra Diehl ( preceptora da residência médica me psiquiatria do Bairral) e a Dra. Maria Elisa Bezerra ( Residente do segundo ano do Bairral) segurando o prêmio recebido.

Aula-convite: “Raiva e agressividade: do saudável ao patológico”

No dia 29 de agosto foi realizada no Centro de Educação Continuada do Instituto Bairral mais uma Aula-Convite, proferida pelo médico psiquiatra Dr. Mauro Vitor de Medeiros Filho. Estas aulas são uma iniciativa do hospital destinadas a divulgar e difundir entre seus funcionários interessados temas que sejam pertinentes à saúde mental e à área da psiquiatria infantil. Na oportunidade, o Dr. Mauro conceituou a raiva como uma emoção primitiva, automática e impulsiva que é desencadeada diante de uma situação geradora de estresse, e que pode aparecer quando o indivíduo se vê frustrado em suas expectativas e desejos. É uma reação fisiológica, faz parte do ser humano e é universal. Numa situação na qual a raiva é desencadeada, há uma reação do indivíduo como forma de defesa ou de ataque (evasão e/ou aproximação) frente ao objeto. Em tais circunstâncias aparece a agressividade, que é uma forma de externalizar a raiva. A agressividade pode ser entendida como um comportamento, uma reação emocional, que, com o amadurecimento do indivíduo, vai ganhando formas mais elaboradas. A criança pequena se manifesta por intermédio da birra; já o adulto, que consegue verbalizar e tem controle inibitório, pode manifestar sua agressividade de outras maneiras, como a ironia, a vingança, a retaliação. Existem diversos fatores geradores, dentre eles o meio em que o indivíduo cresceu (se favorecedor de maus tratos, abusos físicos, sexuais e verbais, e de negligência por parte dos pais); tais fatores podem aumentar a probabilidade desse indivíduo expressar sua raiva de maneira mais frequente e com maior intensidade. A combinação “maus tratos” e “reatividade do indivíduo” pode levar ao aparecimento de pessoas mais violentas e agressivas. O manejo da raiva é possível, desde que o indivíduo reconheça que está tendo esta emoção, reflita sobre isso e sobre o que a desencadeou; importante representar tal emoção em palavras, buscar ser assertivo no contexto e escolher o caminho a seguir numa próxima vez em que a mesma situação, ou situação parecida, ocorrer. Importante lembrar que no trato com os pacientes diversos sentimentos são suscitados, inclusive a raiva, cabendo a todos os profissionais da área da saúde aprender a reconhecê-la para não agir imbuído desta emoção.

Aula-Convite proferida pelo médico psiquiatra Dr. Mauro Vitor aos funcionários do Instituto Bairral.

Aula-Convite proferida pelo médico psiquiatra Dr. Mauro Vitor aos funcionários do Instituto Bairral.

Aula-Convite proferida pelo médico psiquiatra Dr. Mauro Vitor aos funcionários do Instituto Bairral.

Aula-Convite proferida pelo médico psiquiatra Dr. Mauro Vitor aos funcionários do Instituto Bairral.