Arquivo

Posts Tagged ‘psiquiatria’

Cine Psiquiatria “Fragmentado”: personalidades múltiplas existem?

Esta foi a pergunta que o Dr. Sérgio Monteiro (médico psiquiatra do setor Mirante do Instituto Bairral de Psiquiatria) teve que responder após a exibição do filme “Fragmentado” (2017) no Cine Psiquiatria do mês de junho.

Dirigido pelo cineasta M. Night Shyamalan, o filme faz um retrato do personagem central (Kelvin), interpretado pelo talentoso ator James McAvoy, com várias personalidades, 23 mais precisamente, dentro de um contexto de terror psicológico. Embora tenha recebido algumas críticas negativas por ser um tanto quanto “hollywoodiano”, parece se prestar muito bem ao papel didático do estudo do Transtorno Dissociativo. O filme também provocou opiniões discordantes entre o público que compareceu.

O Dr. Sérgio explicou aos presentes que se trata de um fenômeno na verdade mais raro, difícil de ser lidado na clínica do dia-a-dia, e que tem associações importantes com abuso e negligência na infância, evidenciando a importância da psiquiatria do desenvolvimento na origem e associação dos transtornos mentais na vida adulta.

Dr. Sérgio Monteiro, médico psiquiatra do setor Mirante do Instituto Bairral de Psiquiatria.

Dr. Sérgio Monteiro, médico psiquiatra do setor Mirante do Instituto Bairral de Psiquiatria.

O Centro de Pesquisas Sinapse-Bairral terá pesquisa publicada em uma das mais renomadas revistas científicas do mundo na área de psiquiatria

No dia 7 de junho um estudo desenvolvido integralmente no Instituto Bairral de Psiquiatria foi aceito para publicação na Biological Psychiatry, revista científica americana com um dos maiores impactos na área de psiquiatria. A equipe do Centro de Pesquisas Sinapse-Bairral foi o primeiro grupo no mundo a demonstrar a eficácia da cetamina injetável no tratamento de pacientes com depressão psicótica. Nossos pesquisadores também foram os primeiros a demonstrar a eficácia da administração de cetamina por via subcutânea no tratamento em uma amostra de pacientes com depressão psicótica e transtorno esquizoafetivo do tipo depressivo. A publicação de tal pesquisa em revista de tão elevada repercussão científica é em grande parte explicada pelo pioneirismo do nosso grupo de pesquisas, que inovou uma técnica recentemente desenvolvida a partir da demonstração da eficácia em novas indicações e utilizando uma via de administração mais simples e segura.

Um dos idealizadores do Instituto Sinapse, o Dr. Acioly Luiz Tavares de Lacerda, dedica-se a atendimentos em Psiquiatria Clínica e Neuropsiquiatria, além de atuar nas áreas de Ensino e Pesquisa.

Um dos idealizadores do Instituto Sinapse, o Dr. Acioly Luiz Tavares de Lacerda, dedica-se a atendimentos em Psiquiatria Clínica e Neuropsiquiatria, além de atuar nas áreas de Ensino e Pesquisa.

Cine Psiquiatria: “Mommy”

A Dra. Natália Saldanha (médica-residente R2 em psiquiatria do Instituto Bairral) escolheu o filme canadense “Mommy” (2014), do jovem e talentoso diretor Xavier Dolan, para exibição e discussão no Cine Psiquiatria do mês de maio. A escolha foi bastante acertada e agradou vários dos presentes. O filme é um “prato cheio” para quem gosta de estudar a chamada psiquiatria do desenvolvimento, isto porque retrata um adolescente que após o falecimento do pai, ocorrido três anos antes, começa a apresentar alteração importante de conduta, inclusive conduta anti-social, baixo rendimento escolar e indisciplina, entre outros. A história pregressa do personagem principal, contada pela mãe, dá sinais de que ele teria um diagnóstico prévio de transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDHA), quadro que comumente cursa com vários outros diagnósticos comórbidos ou duais, como o transtorno por uso de substâncias. No entanto, o tema central do filme e que deu nome ao mesmo é a relação sem contornos, “misturada”, sem limites claros entre o adolescente e sua mãe. Esta relação, repleta de comunicação dupla, apenas reforça o comportamento do adolescente, que parece não ter referências e sofre absurdamente ao ponto de tentar suicídio. Tema, aliás, mais que presente no mundo contemporâneo.

Médica Residente R-2, Dra. Natália Saldanha.

Médica Residente R-2, Dra. Natália Saldanha.

CIDIA promove palestras

O CIDIA – Centro Integrado de Desenvolvimento da Infância e Adolescência, mais uma frente de trabalho do Instituto Bairral de Psiquiatria, está promovendo um ciclo de palestras com temas voltados para as áreas de sua atuação. Essas palestras ocorrem toda segunda segunda-feira de cada mês, no horário das 18h30 às 20h00, e são ministradas por especialistas das mais diversas áreas que compreendem o universo da infância e adolescência. As inscrições são gratuitas.

Neste ano de 2017 já aconteceram três palestras. A primeira foi realizada no dia 13 de março, abordando o tema “Identificação e intervenção precoce em Transtornos do Espectro do Autismo (TEA)”, pronunciada pela psicóloga Tatiane Ribeiro, graduada pela Universidade Mackenzie, que é analista do comportamento, especialista em ABA (Análise do Comportamento Aplicada) e mestre em ciências pelo Departamento de Psiquiatria e Psicologia Médica da UNIFESP; atualmente é pesquisadora do Serviço de Diagnóstico e Intervenção Precoce do Instituto de Psiquiatria (IPq) do Hospital das Clínicas da USP e coordena uma das mais renomadas equipes de ABA de São Paulo.

A segunda, em 10 de abril, versou sobre “Tratamentos disponíveis para os Transtornos do Espectro do Autismo (TEA)”, e teve como palestrante a Prof.ª Dra. Ana Soledade Graeff Martins, que é Chefe do Serviço de Psiquiatria da Infância e Adolescência do Hospital das Clínicas de Porto Alegre (RS).

A terceira palestra abordou o tema “Suicídio na adolescência” e foi apresentada pelo Dr. Caio Pereira Cortes em 8 de maio. Ele é médico psiquiatra e preceptor da residência médica em Psiquiatria da Infância e Adolescência da Faculdade de Medicina da USP.

Dra. Tais Moriyama, Médica Psiquiatra do Instituto Bairral e responsável pelo CIDIA – Centro Integrado de Desenvolvimento da Infância e Adolescência realizou a abertura do Ciclo de Palestras 2017.

Dra. Tais Moriyama, Médica Psiquiatra do Instituto Bairral e responsável pelo CIDIA – Centro Integrado de Desenvolvimento da Infância e Adolescência, realizou a abertura do Ciclo de Palestras 2017.

Participantes de uma das palestras.

Participantes de uma das palestras.

Participantes de uma das palestras.

Participantes de uma das palestras.

Cine Psiquiatria: “A Pequena Miss Sunshine”

No mês de março o projeto “Cine Psiquiatria” exibiu o filme “A Pequena Miss Sunshine”, tendo como mediadora a médica-residente R2 Dra. Nicole Nunes. Trata-se de uma produção norte-americano de 2006 dirigida pelo casal Jonathan Dayton e Valerie Faris que nos propicia um estudo detalhado sobre a dinâmica de uma família. A película enfatiza a questão da individualização das pessoas que compõem a família e dividem o mesmo ambiente, são preocupados com o sustento, no que diz respeito à situação financeira, todavia é visível o desinteresse de cada integrante deste núcleo familiar no tocante a implicar-se com os problemas, angústias e sofrimentos do outro dentro do ambiente familiar. Tal fato aparece de modo sintomático na medida em que a família é apresentada aos observadores de modo individual, cada um com o seu nome, unicamente com o seu primeiro nome, e envolvido em seus sofrimentos psíquicos e interesses pessoais.

O filme também traz uma crítica ao culto à beleza, aos estigmas de vencedores e perdedores, sugerindo que a vida não é um concurso permanente. A vida é fracassar, perder, cair, e, por fim, levantar-se para novamente empurrar aquela velha kombi no caminho certo, como bem observado pelo vovô na frase “O verdadeiro fracassado não é alguém que não vence.O verdadeiro fracassado é aquele que tem tanto medo de não vencer que não chega a tentar”.

Médicos Residentes juntamente com Dra. Alessandra Diehl presentes no projeto “Cine Psiquiatria” com o filme “A Pequena Miss Sunshine”.

Médicos Residentes juntamente com Dra. Alessandra Diehl presentes no projeto “Cine Psiquiatria” com o filme “A Pequena Miss Sunshine”.

“Cine Psiquiatria” exibiu o filme “A Pequena Miss Sunshine”, tendo como mediadora a médica-residente R2 Dra. Nicole Nunes.

“Cine Psiquiatria” exibiu o filme “A Pequena Miss Sunshine”, tendo como mediadora a médica-residente R2 Dra. Nicole Nunes.