Arquivo

ERGONOMIA

A Prof.ª Daniele Colosso Craveiro, Coordenadora Técnica do setor de Educação Física, participou nos dias 11 e 12 de novembro do curso “Ergonomia – Análise ergonômica do trabalho” na cidade de Campinas (SP), com o propósito de aprofundar seus conhecimentos sobre o assunto e aplicá-los a partir do Comitê de Ergonomia (Coergo) do Instituto Bairral juntamente com o fisioterapeuta Felipe Pereira.

O curso foi ministrado pelo Prof. Ms. João Marcos Bernardes, que abordou vários conteúdos pertinentes à ergonomia do trabalho, tais como fatores de risco, legislação, ferramentas de análise ergonômica e LER/DORT, dentre outros.

Daniele enfatiza que um conhecimento mais aprofundado desses temas auxiliará no desenvolvimento de ações preventivas de maior eficácia junto aos funcionários do hospital.

Prof.ª Daniele Colosso Craveiro, Coordenadora Técnica do setor de Educação Física do Instituto Bairral de Psiquiatria.

Prof.ª Daniele Colosso Craveiro, Coordenadora Técnica do setor de Educação Física do Instituto Bairral de Psiquiatria.

Participação no Meeting de Disfagia

A nutricionista Juliana Bordignon e as enfermeiras Laura Motta Fernandes e Natália de Oliveira, funcionárias do Instituto Bairral, participaram no dia 10 de novembro do Meeting de Disfagia realizado no Hospital Dr. Mario Gatti, em Campinas.

É mundialmente notório o número crescente de idosos; com isso, a preocupação com a qualidade de vida no processo do envelhecimento tornou-se assunto de grande importância a ser abordado pelos profissionais da área da saúde. Um dos temas focalizados no evento foi a sarcopenia, doença relacionada à perda da massa e força muscular e que está associada à idade. A sarcopenia também tem influência na deglutição, diminuindo a força dos músculos envolvidos nesse processo e favorecendo a diminuição da ingestão oral, a desnutrição, a broncoaspiração e a desidratação.

A deglutição é um ato reflexo complexo multissináptico com respostas motoras padronizadas e modificáveis por alterações no estímulo, no volume e na consistência do bolo alimentar. A disfagia orofaríngea é a maior causa de complicações nutricionais e respiratórias em pacientes idosos, por isso a preocupação e o cuidado em avaliar a deglutição, indicar consistências alimentares adequadas e prestar assistência adequada a pacientes sarcopênicos.

O encontro do qual participaram as profissionais do Instituto Bairral proporcionou-lhes um olhar para o desenvolvimento de novos protocolos utilizados para avaliação da disfagia, degustação de novos produtos presentes no mercado que auxiliam a deglutição e diminuem os riscos de complicações associadas à mesma, e, principalmente, mostrou a importância da atuação da equipe multidisciplinar no cuidado com os pacientes que são sarcopênicos ou que apresentam fatores de risco para o desenvolvimento da sarcopenia.

Profissionais do Instituto Bairral no Meeting de Disfagia.

Profissionais do Instituto Bairral no Meeting de Disfagia.

INSTITUTO BAIRRAL PRESENTE NO FÓRUM SOCIAL SOBRE DROGAS NO PIAUÍ

O Instituto Bairral, representado pela Dra. Taís Moriyama, médica responsável pela área de Psiquiatria da Infância e Adolescência, por Maurício Landre, coordenador técnico da Comunidade Terapêutica Rural Santa Carlota, e Nivaldo José Caliman, Diretor Superintendente do hospital, esteve presente no VIII Fórum Social Sobre Drogas do Estado do Piauí, nos dias 9 e 10 de novembro, na cidade de Teresina. Os três profissionais integraram o grupo de palestrantes do evento.

O referido Fórum é organizado pela Fazenda da Paz, entidade que administra seis comunidades terapêuticas para dependentes químicos nos Estados do Piauí e Maranhão. A abertura do conclave contou com a presença do governador do Estado do Piauí, Wellington Dias, além de várias autoridades locais que militam no âmbito do tratamento e prevenção da dependência química. A palestra de abertura foi proferida pelo Ministro do Desenvolvimento Social, o médico Osmar Terra.

Quanto aos nossos representantes, coube à Dra. Taís discorrer sobre o tema “Características na infância que levam à dependência química”; Maurício Landre apresentou a temática “Quem cuida da juventude de hoje”; e nosso Diretor Superintendente Nivaldo Caliman focalizou o tema “Apontamentos sobre a maconha:  evidências e consequências”.

A troca de experiências se estendeu com visitas às atividades das comunidades terapêuticas gerenciadas pela Fazenda da Paz, além de participação na Vivência Terapêutica com os residentes, coordenada pela psicóloga transpessoal Susana Andery, da cidade de Aracaju (SE).

Palestrantes do VIII Fórum Social Sobre Drogas do Estado do Piauí.

Palestrantes do VIII Fórum Social Sobre Drogas do Estado do Piauí.

Ministro do Desenvolvimento Social, Dr. Osmar Terra.

Ministro do Desenvolvimento Social, Dr. Osmar Terra.

Diretor Superintendente do Instituto Bairral, Nivaldo José Caliman.

Diretor Superintendente do Instituto Bairral, Nivaldo José Caliman.

Médica responsável pela área de Psiquiatria da Infância e Adolescência do Instituto Bairral, Dra. Taís Moriyama.

Médica responsável pela área de Psiquiatria da Infância e Adolescência do Instituto Bairral, Dra. Taís Moriyama.

Participantes do VIII Fórum Social Sobre Drogas do Estado do Piauí.

Participantes do VIII Fórum Social Sobre Drogas do Estado do Piauí.

Participantes do VIII Fórum Social Sobre Drogas do Estado do Piauí.

Participantes do VIII Fórum Social Sobre Drogas do Estado do Piauí.

Psicóloga transpessoal, Susana Andery.

Psicóloga transpessoal, Susana Andery.

Psicóloga transpessoal, Susana Andery em visita na Comunidade Terapêutica.

Psicóloga transpessoal, Susana Andery em visita na Comunidade Terapêutica.

Atividades das comunidades terapêuticas.

Atividades das comunidades terapêuticas.

Capacitação para o setor de Nutrição e Dietética

Nos dias 8 e 9 de novembro ocorreu uma capacitação para o setor de Nutrição e Dietética com o objetivo de relembrar técnicas do manual de boas práticas, aprimorar o atendimento aos pacientes e funcionários e rememorar as instruções ligadas à segurança no trabalho.

Participaram como palestrantes a psicóloga Marina Caversan Oliveira de Souza, coordenadora do setor de Psicologia do hospital, abordando os diversos perfis diagnósticos dos pacientes e fornecendo dicas para seu manejo e atendimento; a nutricionista Carla Soares de Campos Sartorelli, coordenadora do setor de Nutrição e Dietética, relembrando normas do manual de boas práticas; e o técnico de segurança do trabalho Juliano de Oliveira Momesso, que apresentou aspectos relacionados com a segurança do trabalho.

A capacitação proporcionou um maior conhecimento e integração do grupo, trazendo também mais qualidade aos serviços prestados por seus integrantes.

Funcionários do Setor de Nutrição e Dietética em momento de integração.

Funcionários do Setor de Nutrição e Dietética em momento de integração.

Participantes da capacitação e palestrantes.

Participantes da capacitação e palestrantes.

Participantes da capacitação e palestrantes.

Participantes da capacitação e palestrantes.

Participantes da capacitação e palestrantes.

Participantes da capacitação e palestrantes.

Participantes da capacitação e palestrantes.

Participantes da capacitação e palestrantes.

Apresentação de pôster de Terapia Ocupacional no XXXV Congresso Brasileiro de Psiquiatria

As terapeutas ocupacionais Aline Coraça Trevelin e Juliana C. dos Santos Ribeiro, que trabalham nos setores que tratam de dependência química (serviço SUS) do Instituto Bairral, apresentaram um pôster na categoria Prática Clínica no XXXV Congresso Brasileiro de Psiquiatria, promovido pela Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP) e realizado em São Paulo (SP) de 25 a 28 de outubro de 2017.

Com o título “A reorganização da rotina do dependente químico”, o pôster das duas profissionais trouxe o relato do trabalho por elas desenvolvido, o qual tem como um dos focos principais o desdobramento de uma rotina com base em um instrumento de avaliação validado no Brasil denominado “Lista de Papéis Ocupacionais”.

A proposta aplicada busca auxiliar o paciente no resgate das funções e papéis ocupacionais perdidos e na reestruturação de uma vida autônoma e com maiores possibilidades de manutenção de um processo de recuperação/reabilitação.

Para tanto, ao término do tratamento no Bairral é realizada uma abordagem grupal, na qual os pacientes fazem um levantamento por meio do instrumento supramencionado, o qual apresenta 10 papéis ocupacionais definidos separadamente: 1) estudante; 2) trabalhador; 3) voluntário; 4) cuidador; 5) serviço doméstico; 6) amigo; 7) membro de família; 8) religioso; 9) passatempo/amador; 10) participante em organizações. Há também a categoria “Outro’ para serem adicionados outros papéis não listados, caso referidos pelo entrevistado (CORDEIRO et al, 2007).  Os pacientes são orientados a assinalar qual o período em que desempenharam o papel nos tempos passado/presente e se gostariam de realizá-lo no futuro, de maneira a conhecer quais deles foram perdidos, mantidos, ganhos ou mesmo nunca desempenhados por eles ao longo de suas vidas. Outro item que também é considerado nesta lista é a incumbência percebida pelo paciente, sendo identificado no que diz respeito ao grau de importância que o mesmo atribui para cada papel, com os seguintes graus a serem referidos: “nenhuma importância”, “alguma importância” ou “muita importância” (CORDEIRO, 2005). 

O preenchimento desta lista ajuda-os a reconhecer as perdas ocupacionais e sociais causadas pela dependência química e delimita os papéis que são considerados relevantes e que desejariam retomar no “futuro”. A partir deste ponto, é elaborada juntamente com os pacientes uma rotina na qual possa ser viabilizada a inclusão desses papéis.

Para facilitar a organização e a visualização das atividades que o paciente deseja desenvolver após a internação, é fornecida uma tabela com todos os dias da semana, intercalada com os horários dos três períodos: manhã, tarde e noite.  Nesta tabela é possível distribuir e visualizar as atividades selecionadas e incluir os horários que serão utilizados para o tratamento.  São fornecidos junto a este trabalho os horários e endereços dos grupos de autoajuda e tratamento ambulatorial para facilitar a procura por esses serviços.

Pode-se, assim, observar que esse grupo funciona como um catalisador para os processos de mudança da vida ocupacional do paciente, desde sua admissão até o momento de preparação para a alta. Ele consegue identificar os prejuízos causados pelo uso de substâncias e os benefícios do tratamento. Na elaboração da rotina enfoca-se a capacidade do mesmo de planejar e organizar sua vida ocupacional a partir de seus desejos, dentro de suas possibilidades, limitações e do ambiente no qual está inserido.

As terapeutas ocupacionais Aline Coraça Trevelin e Juliana C. dos Santos Ribeiro.

As terapeutas ocupacionais Aline Coraça Trevelin e Juliana C. dos Santos Ribeiro.

Página 10 de 143« Primeira...89101112...203040...Última »

Warning: implode(): Invalid arguments passed in /home/bairral/www/blog/wp-content/themes/ZenHealth/footer.php on line 1