Arquivo

Posts Tagged ‘CEPAB’

CEPAB – “Avaliação Neuropsicológica”

No dia 26 de março o Centro de Estudos Psiquiátricos Américo Bairral (CEPAB) trouxe ao Instituto Bairral a palestrante Renata Ávila, neuropsicóloga de São Paulo (SP) e autora de capítulos de livros sobre avaliação neuropsicológica e reabilitação neuropsicológica em idosos, além de professora convidada do Programa Terceira Idade, o PROTER, da USP. Na sua palestra, que focalizou o tema “Avaliação neuropsicológica”, explicou características da cognição humana e dos testes aplicados. Abordou também diagnósticos diferenciais entre as demências e peculiaridades esperadas em cada fase na evolução da Doença de Alzheimer. A aula encerrou-se com a eBxpectativa do retorno da palestrante em 30 de abril próximo, para ministrar aula sobre “Reabilitação neuropsicológica”.

 Neuropsicóloga Renata Ávila ao centro, junto ao Dr. Elias e Dra. Francelma, médicos psiquiatras do Bairral.

Neuropsicóloga Renata Ávila ao centro, junto ao Dr. Elias e Dra. Francelma, médicos psiquiatras do Bairral.

Centro de Estudos Psiquiátricos Américo Bairral – CEPAB recebe palestra sobre “Tratamento do Tabagismo”

No dia 29/01/2019 o Centro de Estudos Psiquiátricos Américo Bairral – CEPAB – teve o prazer de receber a Dra Renata Cruz Soares de Azevedo. Ela é coordenadora do Ambulatório de Substâncias Psicoativas – ASPA, da Unicamp, além de atual chefe do Depto. de Psiquiatria.
O tema abordado foi “Tratamento do Tabagismo”, enriquecido pela experiência de retirada do tabaco na enfermaria do HC da Unicamp. Há 10 anos a enfermaria de psiquiatria da Unicamp foi pioneira no Estado de São Paulo entre as unidades psiquiátricas e conseguiu eliminar o cigarro em todas as internações realizadas, tornando o HC livre de tabaco. Também foram explorados detalhes das abordagens farmacológicas e comportamentais para o tratamento do tabagismo. Como exemplo, podemos citar: a bupropiona, a vareniclina, a nortriptilina, as terapias de reposição de nicotina (TRN) e a terapia cognitivo-comportamental (TCC). O evento encerrou-se após resposta às dúvidas e troca de experiências entre a palestrante e os participantes do evento. Agradecemos a colaboração do Laboratório Libbs, que proporcionou o transporte da palestrante ao Instituto Bairral.

Dr. Elias Ajub Neto e Dra Renata Cruz Soares de Azevedo.

Dr. Elias Ajub Neto e Dra Renata Cruz Soares de Azevedo.

 

CEPAB: “Strawberry Fields Forever – A psicopatologia de John Lennon”

“É preciso ter um caos dentro de si para dar à luz uma estrela cintilante”. Com esta frase do filósofo alemão Friedrich Nietzsche, o médico residente Rafael Pereira da Silva e a coordenadora de psicologia Marina Caversan Oliveira de Souza iniciaram uma verdadeira jornada pela história de vida de um dos maiores nomes da música do século XX: John Lennon.

Nascido John Winston Lennon, os eventos adversos aos quais fora exposto durante toda sua vida se iniciaram logo ao nascer, já que em 9 de outubro de 1940 sua cidade de nascimento, Liverpool (norte da Inglaterra), encontrava-se em plena vigência dos bombardeios alemães durante a Segunda Guerra Mundial. Figuras paternas ausentes e instáveis, seguidas perdas irreparáveis de pessoas amadas, comportamentos caracterizados por condutas socialmente inapropriadas, incluindo início precoce de uso de substâncias como álcool e o tabaco (precursores de seu uso futuro de substâncias psicoativas como LSD, heroína e maconha), ocorriam paralelos à formação de uma personalidade extremamente criativa, carismática, impulsiva, sensível à possibilidade de abandono e instável. Tudo muito, muito intenso, para o bem ou para o mal…

Utilizando-se de registros de fatos vividos pelo artista, composições e relatos (por vezes chocantes) de pessoas próximas, permeados por conceitos psicodinâmicos como mecanismos de defesa do ego e conflitos intrapsíquicos frutos principalmente de uma relação conturbada com sua mãe, foi-se possível investigar e, apesar das naturais limitações deste tipo de exercício, classificar nosologicamente seu quadro de acordo com conceitos atuais contidos no DSM-V. Além disso, um considerável acervo de imagens e trechos musicais colaboraram com essa imersão na vida e obra desse verdadeiro gênio da música, que também tinha seu lado humano, falho, sombrio…

Mais uma vez uma reunião do CEPAB mostra o quão fascinantemente a arte pode nos auxiliar na compreensão do ser humano. John Lennon, com suas criações, serve de grande exemplo para a aplicação de métodos psicopatológicos como o da psicologia da obra do psiquiatra e filósofo alemão Karl Jaspers. Lennon expunha de forma claríssima seus sentimentos através de suas composições, permitindo-nos entender melhor suas vivências, como nem sempre quem procura por auxilio profissional poderá expor. Assim, desfrutar atentamente de suas músicas pode tornar cada um mais empático e próximo do mundo interior daqueles que guardam ‘um caos dentro de si’.

Médico residente Rafael Pereira da Silva e a coordenadora de psicologia Marina Caversan Oliveira de Souza.

Médico residente Rafael Pereira da Silva e a coordenadora de psicologia Marina Caversan Oliveira de Souza.

CEPAB: “Como a medicina nuclear pode auxiliar na clínica psiquiátrica?”

No dia 28 de agosto o Centro de Estudos Psiquiátricos Américo Bairral – CEPAB recebeu a Dra. Carla Oliveira, médica nuclear e pós-graduanda em Clínica Médica pela Unicamp, com ênfase em Neurologia, que pronunciou palestra para 42 participantes versando sobre atualizações a respeito do uso dos exames PET e SPECT para auxílio nos diagnósticos de transtornos mentais. Dentre os aspectos da questão por ela abordados, ganhou destaque o que diz respeito à aplicação dessas estratégias diagnósticas complementares na Psicogeriatria para o diagnóstico diferencial de síndromes demenciais.

Dra. Carla Oliveira médica nuclear e pós-graduanda em Clínica Médica pela Unicamp, juntamente ao Dr. Elias Ajub Neto e Dra. Ana Maria Garcia Mendes Rodrigues, médicos psiquiatras do Bairral.

Dra. Carla Oliveira médica nuclear e pós-graduanda em Clínica Médica pela Unicamp, juntamente ao Dr. Elias Ajub Neto e Dra. Ana Maria Garcia Mendes Rodrigues, médicos psiquiatras do Bairral.

Cepab – “Não toque no meu TOC”

Em 7 de agosto ocorreu mais uma apresentação no Centro de Estudos Psiquiátricos Américo Bairral – Cepab, e o tema escolhido desta vez foi “Não toque no meu TOC”, abordado pela médica- residente Dra. Júlia Grossi e pelo médico psiquiatra Dr. Elias Ajub Neto. O transtorno obsessivo compulsivo (TOC) é uma doença com prevalência de 2% na nossa população, estando presente em forte associação com outros transtornos psiquiátricos, mais comumente com a depressão. Os sintomas do TOC são caracterizados por pensamentos obsessivos, ou seja, pensamentos indesejáveis, intrusivos, repetitivos, persistentes e capazes de gerar ansiedade e desconforto emocional. Estes pensamentos obsessivos podem ser aliviados através da realização de comportamentos compulsivos, segunda característica do TOC. Estes comportamentos são voluntários, repetitivos, possuem um motivo e uma finalidade. Devido ao impacto deste transtorno na vida das pessoas, é de grande importância ser corretamente diagnosticado e tratado.

Médica residente Dra. Júlia Grossi e médico psiquiatra Dr. Elias Ajub Neto.

Médica residente Dra. Júlia Grossi e médico psiquiatra Dr. Elias Ajub Neto.