Arquivo

Posts Tagged ‘Comunidades’

Ativista do movimento Faces & Voices of Recovery visita o Instituto Bairral

Em passagem pelo Brasil, o ativista norte-americano e representante do movimento Faces & Voices of Recovery, Ben Bess, visitou no último dia 13 o Complexo Bairral, acompanhado pelos representantes do Faces & Vozes – Brasil, Alexandre Araújo e Elaine Camarini.

A programação começou com uma palestra para os membros do corpo técnico no Centro de Educação Continuada do Instituto Bairral, na qual Ben Bass apresentou os objetivos principais do movimento Faces & Vozes. Em seguida ele falou para os pacientes dependentes químicos do Instituto Bairral no auditório central do hospital. Encerrando sua visita, foi conhecer a Comunidade Terapêutica Rural Santa Carlota, onde novamente fez uso da palavra para expor aos pacientes o histórico, a trajetória e os objetivos fundamentais do referido movimento.

A organização Faces e Vozes da Recuperação no Brasil é uma entidade que tem a intenção de dar um rosto e uma voz à recuperação da dependência química, e criar um movimento Advocacy da recuperação, e ao mesmo tempo iniciar uma Identidade Coletiva entre pessoas voluntárias que estão superando o problema com álcool e outras drogas, independente da linha de tratamento que as tenha colocado em recuperação (movimento apartidário). Surgido oficialmente nos Estados Unidos em 2001, Faces & Voices of Recovery foi organizado para dar foco e força às Comunidades de Recuperação (dependentes, familiares, amigos e aliados). De acordo com Alexandre Araújo, presidente da organização no Brasil, esta iniciativa visa a tirar o estigma que pesa sobre os dependentes químicos, pois muitas destas pessoas que estão em recuperação são mostradas pela mídia com tarja preta, mudam a voz, por medo de sofrer alguma discriminação. Ainda segundo Araújo, a maioria trabalha e desempenha funções sociais como qualquer pessoa.

Esta importantíssima visita foi possível graças aos esforços da Dra. Alessandra Diehl, médica psiquiatra do Instituto Bairral e preceptora de nossa residência médica em psiquiatria, que formulou o convite a Ben Bass durante um evento sobre prevenção ocorrido em Cabo Frio (RJ).

Ben Bess (Faces&Voices of Recovery) e Nivaldo Caliman (Diretor Superintendente Instituto Bairral).

Ben Bess (Faces&Voices of Recovery) e Nivaldo Caliman (Diretor Superintendente Instituto Bairral).

Equipe Bairral e Membros do Faces e Vozes - parceria de boas intenções.

Equipe Bairral e Membros do Faces e Vozes – parceria de boas intenções.

Equipe Bairral e Ben Bess.

Equipe Bairral e Ben Bess.

Ben Bess e os objetivos aos pacientes do Bairral.

Ben Bess e os objetivos aos pacientes do Bairral.

Ben Bess e os "residentes" da C.T. Santa Carlota:- informações para a recuperação.

Ben Bess e os “residentes” da C.T. Santa Carlota:- informações para a recuperação.

Ben Bess e os pacientes da C.T. Santa Carlota.

Ben Bess e os pacientes da C.T. Santa Carlota.

Declaração de Mallorca reconhece a Comunidade Terapêutica como uma das abordagens mais eficazes para a reabilitação e reinserção dos dependentes químicos e suas famílias em todo o mundo

O WFTC (Federação Mundial das Comunidades Terapêuticas) é uma associação internacional que tem por objetivo reunir e apoiar o amplo movimento global das CTs em todo o mundo. O WFTC fornece cooperação, compreensão e orientação.

A Declaração de Mallorca foi aprovada em 3 de dezembro de 2016, na cidade de Palma de Mallorca, na Espanha, no âmbito da celebração do V Instituto da Federação Mundial de Comunidades Terapêuticas (WFTC), organizado pelo projeto Início Baleares e Associação Projeto Homem. Participaram mais de 150 especialistas em dependência química e comunidades terapêuticas de 26 países. Maurício Landre, Coordenador Técnico da CT Santa Carlota, um serviço do Instituto Bairral de Psiquiatria, foi um dos representantes brasileiros. Essa Declaração é o resultado de três dias de deliberações e contribuições de grupos de trabalho sob a liderança do Conselho da WFTC e membros do Comitê Científico do Instituto.

A Declaração de Mallorca é baseada em um conjunto de ações, recomendações e acordos sobre cuidados universais, tratamento, reabilitação e reinserção social da população de adictos, que inclui a prevenção da dependência química, a fim de implementá-las nos próximos dez anos, até 2026. A Declaração foi criada em 2010 na cidade italiana de Gênova durante o Instituto WFTC IV, organizado pelo CEIS Genoa.

A Declaração de Mallorca reconhece a Comunidade Terapêutica como um dos procedimentos de  reabilitação mais eficazes de  reinserção de dependentes químicos e suas famílias em todo o mundo.

Todos os participantes se comprometem a realizar as ações e recomendações expressas na Declaração e movê-las para suas comunidades terapêuticas e o resto da comunidade regional e internacional.

PRINCÍPIOS GERAIS

A Declaração de Mallorca foi preparada sob os seguintes princípios gerais:

COMPROMISSO COM AS PESSOAS

O trabalho das CTs é totalmente focado em fornecer o melhor serviço para aqueles que sofrem por causa de sua adicção, bem como para o seu ambiente social e familiar e suas comunidades em todo o mundo. Também estamos comprometidos com a Declaração Universal dos Direitos Humanos, a Declaração dos Direitos da Criança e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

INOVAÇÃO
Reconhece a eficácia dos elementos essenciais das comunidades terapêuticas e a ampla variedade de metodologias e abordagens adaptados para as CTs de cada região do mundo. A pesquisa e a evidência prática com base são reforçadas.

PARTICIPAÇÃO
A Declaração foi adotada pelos participantes do Instituto WFTC V, na sequência de um processo sistemático e participativo, com consenso e transparência.

ALCANCE
As propostas da Declaração são específicas, claras e mensuráveis. As conclusões são realistas, exequíveis e acessíveis.

DIVULGAÇÃO
A difusão ativa desta Declaração será feita para todas as CTs. Também será divulgada a todos os interessados em níveis local, nacional e internacional, instituições da sociedade civil, organizações profissionais, sociedade civil organizada e famílias.

PRINCIPAIS QUESTÕES

As CTs atendem a uma ampla variedade de perfis de dependentes químicos, e destacam, especificamente, o aumento de grupos em situação de vulnerabilidade como mulheres, crianças, pessoas em situação de rua, pessoas com HIV, hepatite C, comorbidades e apenados.

As intervenções devem ser adaptadas às necessidades dos usuários e sua diversidade cultural, econômica, social e religiosa.

É essencial que os representantes de organizações internacionais e regionais, governos, sociedade civil e do setor privado reconheçam o papel do movimento das Comunidades Terapêuticas na resolução de problemas relacionados com o álcool e outras drogas e o consequente sofrimento dos usuários e seus familiares. As CTs estão na luta contra a estigmatização da população usuária de álcool e outras drogas.

As CTs estão introduzindo dispositivos de rastreamento para melhorar a reinserção social dos usuários. Esta monitorização é essencial para reduzir episódios de recaída.

Famílias e outras redes sociais tornam-se fatores-chave durante o tratamento na CT e devemos incentivar a sua participação neste processo.

A promoção da investigação e de resultados baseados em evidências científicas é crucial para a sustentabilidade das CTs. Também convidamos todas as organizações a participar na publicação de artigos científicos e em colaboração com a comunidade acadêmica e de pesquisa.

Apelamos ao WFTC e todos os seus membros para realizar estudos de custo-benefício para demonstrar o valor do modelo de CT para as partes interessadas.

Reconhecemos que a transparência e a responsabilidade são aspectos fundamentais do funcionamento das organizações. Estes são os pré-requisitos para a obtenção e manutenção da credibilidade dos governos e da sociedade civil organizada.

Em muitos países as CTs são subfinanciadas. Nós encorajamos os políticos para apoiar as CTs responsáveis porque fornecem uma ajuda insubstituível para a recuperação de dependentes químicos. É urgente diversificar os recursos e explorar alternativas de financiamento.

O WFTC irá reforçar a presença e movimento a favor da CT nas organizações e fóruns internacionais, em colaboração com as federações e redes da sociedade civil regionais.

Nós reconhecemos que as equipes das CTs necessitam de treinamento e educação continuada, orientação, assistência e supervisão externa. Você deve cuidar do bem-estar dos funcionários para minimizar a possibilidade de ocorrência de esgotamento e/ou exaustão dos mesmos.

A liderança da CT deve ser inspiradora, transparente e servir a comunidade e organizações. O movimento das CTs está evoluindo para novos modelos de liderança organizacional. A renovação dos líderes é muito importante e pode ser alcançada por meio de planos de sucessão cuidadosamente projetados.

Comunidades Terapêuticas requerem equipes interdisciplinares de profissionais, incluindo os profissionais com experiência vital para lidar com a complexidade da dependência do álcool e outras drogas dentro de um modelo biopsicossocial. A identidade do pessoal CT encontra-se em uma combinação de profissionalismo, dedicação ao serviço e paixão para ajudar as pessoas.

Divulgação através da internet e redes sociais é indispensável para aumentar a conscientização da sociedade sobre os efeitos e as consequências causadas pelo uso de drogas. Este tipo de difusão também ajuda a aumentar a visibilidade da eficácia do modelo da CT.

CONCLUSÃO

Esta Declaração reafirma o compromisso do movimento das CTs para servir e tratar dos dependentes químicos e seu ambiente social e familiar em todo o mundo, restaurando a esperança, dignidade e bem-estar pessoal.

Palma de Mallorca, 3 de dezembro de 2016

Sushma Taylor Jesus Mullor

Presidente da Federação Mundial de Comunidades Terapêuticas

V Comissão Científica do Instituto WFTC

Tradução: - Piti Hauer

Tradução: – Piti Hauer


Warning: implode(): Invalid arguments passed in /home/bairral/www/blog/wp-content/themes/ZenHealth/footer.php on line 1