Arquivo

Posts Tagged ‘Dependência’

Programa de Capacitação para Tratamento do Tabagismo

No dia 17 de outubro um grupo de profissionais do Instituto Bairral participou do “Programa de Capacitação para Tratamento do Tabagismo” realizado pelo Centro de Referência de Álcool, Tabaco e Outras Drogas (Cratod), órgão da Secretaria Estadual de Saúde, em parceria com o Programa Estadual do Controle de Tabagismo. Fizeram parte do grupo as psicólogas Mariana Curi, Priscila J. Lauri e Silmara C. Luciano, os enfermeiros Juliana M. Florêncio, Lincoln Eduardo Cardoso e Marco Aurélio T. Longo, a terapeuta ocupacional Aline Coraça Trevelin e a farmacêutica Josi Aparecida M. S. de Araújo.

O tabagismo é uma doença pediátrica (início precoce por volta dos 13 anos de idade) e crônica, gerada pela dependência à nicotina, droga presente em qualquer derivado do tabaco, como cigarro, charuto, cachimbo, cigarro de palha, cigarrilha, rapé, tabaco mascado (fumo de rolo), cigarro de Bali e narguilé (cachimbo de água utilizado para fumar), entre outros. O usuário de produtos de tabaco é exposto continuamente a quase 8.000 substâncias tóxicas, sendo cerca de 60 delas cancerígenas. Essa exposição faz do tabagismo o mais importante fator de risco isolado de doenças graves e fatais, caracterizando a primeira causa de morte evitável no mundo.

Segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde), além do sofrimento que o tabaco causa nas famílias com as mortes e doenças, a perda da produtividade e o tratamento de doenças com ele relacionados geram enormes gastos para as nações por ano no mundo.

Torna-se relevante mencionar alguns dados atualizados fornecidos pelo Ministério da Saúde:

  • O tabaco mata seis em cada dez consumidores.
  • 428 pessoas morrem por dia no Brasil por causa do tabagismo.
  • 12,6% da todas as mortes no país podem ser atribuídas ao tabagismo.
  • Mais de 156 mil dessas mortes poderiam ser evitadas a cada ano.
  • Fumantes homens perdem 6,12 anos de vida.
  • Fumantes mulheres perdem 6,71 anos de vida.
  • Esse quadro gera um custo de R$ 23 bilhões aos cofres públicos todos os anos.
  • 80% dos fumantes têm o desejo de cessar o uso, porém somente de 3 a 5% conseguem sem a ajuda profissional.

O programa é destinado à capacitação de profissionais de saúde de nível universitário para auxiliar as pessoas a deixar de fumar, fornecendo-lhes todas as informações e estratégias necessárias para direcionar seus próprios esforços nesse sentido. Consiste de uma abordagem ativa e pragmática, em que elas são incentivadas a aplicar o que aprenderam com o programa em outros aspectos de sua vida.

A estratégia do programa prevê grupos que são realizados semanalmente e divididos em quatro sessões, totalizando um período de quatro semanas. Aborda os comportamentos, pensamentos e sentimentos dos fumantes, utilizando métodos de redução, medicações como apoio e interação do grupo para incentivar as mudanças.

Lincoln Eduardo Cardoso, Juliana M. Florêncio, Silmara C. Luciano, Priscila J. Lauri, Aline Coraça Trevelin, Josi Aparecida M. S. de Araújo, Marco Aurélio T. Longo e Mariana Curi.

Lincoln Eduardo Cardoso, Juliana M. Florêncio, Silmara C. Luciano, Priscila J. Lauri, Aline Coraça Trevelin, Josi Aparecida M. S. de Araújo, Marco Aurélio T. Longo e Mariana Curi.

Bastidores: Aconselhamento em Dependência Química

O Instituto Bairral de Psiquiatria dispõe, no setor de Dependência Química do Prédio Central e no setor Mirante, como parte integrante da equipe multidisciplinar, de um trabalho de aconselhamento. Os conselheiros diariamente acompanham, elaboram e coordenam atividades terapêuticas com os pacientes internados.

Das contribuições desses conselheiros ressaltamos:

  • Grupos de Partilhas de Sentimentos – De maneira empática e ética, ocorre o compartilhamento das histórias etnográficas, os sentimentos, emoções e ações de cada indivíduo.
  • Grupos Temáticos – Inserção de temas diversificados com funções morais, comportamentais e espirituais na didática e reflexão.
  • Grupos de 12 Passos – Este é o “carro-chefe” do programa de aconselhamento, que é trabalhado por meio das ferramentas dinâmicas de mudança do estilo de vida.
  • Grupos de Prevenção à Recaída – Estratégias de enfrentamento de situações de risco e motivação à prática de ações de proteção à recaída.
  • Grupos Familiares – Reuniões semanais com os familiares dos dependentes químicos acolhidos no hospital, esclarecendo dúvidas sobre o tratamento, a dinâmica da dependência química, ações de gerenciamento e manejo e conscientização sobre co-dependência.
  • Grupos de Espiritualidade – Encontro com introdução de princípios espirituais, temas transversais e humanistas que elevam de maneira pragmática a autoestima, a esperança, a solidariedade, a fé, o amor, o perdão, a alteridade e o altruísmo. A musicalidade e o compartilhar fazem a essência desses encontros.

Os conselheiros atuam através do acolhimento e do manejo de comportamento, focando suas intervenções para que os pacientes percebam a necessidade de mudança, estimulando-os para a qualidade de vida e para a recuperação. Interagem nas atividades multidisciplinares, incluindo atividades de lazer, atividades lúdicas (com dinâmicas voltadas para a busca de ressignificação da vivência da dependência química), e também ofertam semanalmente vídeoterapia com filmes temáticos e terapêuticos, com posterior discussão.

O Instituto Bairral conta atualmente com oito conselheiros, divididos por setores femininos e masculinos, e que estão disponíveis para auxiliar na recuperação e reinserção social dos pacientes.

Coordenadora Maria Cristina Martin Altafini, juntamente com equipe multidisciplinar de conselheiros do Instituto Bairral.

Coordenadora Maria Cristina Martin Altafini, juntamente com equipe multidisciplinar de conselheiros do Instituto Bairral.

Curso de Tratamento de Dependência Química

No primeiro semestre de 2016 finalizamos o Curso de Aprimoramento no Tratamento de Dependência de Álcool e Drogas oferecido pelo BAIRRAL.edu, um programa instituído pelo Instituto Bairral com o intuito de proporcionar capacitação, cursos e treinamento. O curso teve duração de 26 horas, divididas em sábados ao longo de sete semanas, e contou com a participação da equipe do Programa de Acolhimento da Comunidade Terapêutica Rural Santa Carlota.

Os temas abordados ao longo do evento foram: Compreendendo a Síndrome da Dependência Química de Álcool e Drogas – Aspectos Transdisciplinares (parte 1), com carga horária de 4 horas; Compreendendo a Síndrome da Dependência Química de Álcool e Drogas – Aspectos Transdisciplinares (parte 2) (4 horas); A Cultura do Consumo de Álcool e Drogas e da Recuperação (4 horas); A Espiritualidade e a Crise como Instrumento de Transformação e Mudança (4 horas); A Rede de Atenção Álcool e Drogas, ministrado por Wanessa Maria de Oliveira, assistente social do 4.º andar da Seção Feminina do Prédio Central do Instituto Bairral (4 horas); Comunicação Como Facilitador na Unidade da Equipe (6 horas).

Em breve o programa BAIRRAL.edu abrirá inscrições para uma nova turma, aberta a profissionais, instituições e serviços que se interessem em receber informações e conhecer boas práticas nos cuidados e programas para tratamento e recuperação de dependentes de álcool e drogas.

Curso de Tratamento de Dependência Química, com participação da equipe do Programa de Acolhimento da Comunidade Terapêutica Rural Santa Carlota.

Curso de Tratamento de Dependência Química, com participação da equipe do Programa de Acolhimento da Comunidade Terapêutica Rural Santa Carlota.

Festa de Natal no setor Dependência Química

A dependência química é uma das doenças psiquiátricas mais frequentes da atualidade e, como é sabido, representa um grave problema de saúde pública. O uso continuado de substâncias psicoativas provoca mudanças na estrutura e no funcionamento cerebral, causando impacto em áreas cognitivas; o usuário acaba priorizando o uso da substância em detrimento de outras atividades e obrigações. Essa relação com a substância é marcada por perdas e prejuízos que atingem não somente o dependente, mas todos que direta ou indiretamente têm relação com ele, em especial seus familiares. Tornam-se comuns o agravamento dos conflitos, o rompimento dos vínculos e as dificuldades dos familiares em lidar com a doença.

Para que o tratamento do usuário de substâncias apresente melhor prognóstico e melhores resultados é necessário que a família seja abordada, orientada e incluída no processo terapêutico. Pensando na importância disso, a equipe do setor de Dependência Química do Prédio Central (3.° e 4.° Andares Masculinos) organizou uma confraternização de Natal com as famílias, pacientes e funcionários com o objetivo de integrá-los, estimular o  resgate dos vínculos e promover a vivência dessa data festiva de forma saudável.

Durante todo o mês de dezembro foram incluídas no programa terapêutico atividades que trabalharam as datas comemorativas do Natal e Ano Novo e reforçados os objetivos já trabalhados no decorrer das fases do tratamento, como o resgate dos vínculos familiares, a motivação para mudança e o treinamento de habilidades sociais.

A confraternização iniciou-se com a exibição de um vídeo motivacional abordando a proposta e as etapas de evolução do tratamento, ilustradas por meio de fotos da rotina de atividades dos pacientes, e foi finalizada com a apresentação da equipe multidisciplinar. Foram encenadas duas peças de teatro: “Lifehouse” e “O Verdadeiro Sentido do Natal”. Houve também duas apresentações do coral de pacientes com as músicas “Noite Feliz” e “Como Zaqueu”, com acompanhamento dos instrumentos musicais violão e cajón, tudo realizado pelos pacientes.

Ao final foi oferecido um lanche da tarde e entregues as lembranças de Natal confeccionadas pelos próprios pacientes na Terapia Ocupacional. Houve boa adesão dos familiares, que se emocionaram com o envolvimento e desempenho dos pacientes e valorizaram o tratamento oferecido pelo hospital. A confraternização atingiu o seu objetivo e é possível observar benefícios que perduram na continuidade do tratamento.

Equipe do setor de dependência Química.

Equipe do setor de dependência Química.

Publicação de artigo científico

A Revista Unopar Científica – Ciências Biológicas e da Saúde publicou em sua edição de novembro de 2015 (vol. 17, n.° 4) artigo científico do enfermeiro Marco Aurélio Tosta Longo, do Instituto Bairral de Psiquiatria, intitulado “A Dependência de Substâncias Psicoativas na Perspectiva da Comunidade Terapêutica”. Nesse trabalho o autor faz uma revisão da literatura sobre o tema, abordando aspectos clínicos, epidemiológicos, critérios diagnósticos e como o modelo e a metodologia adotados por esses serviços – as comunidades terapêuticas – promovem mudanças do estilo de vida e da identidade pessoal do indivíduo usuário de substâncias psicoativas, favorecendo sua reabilitação e recuperação.


Warning: implode(): Invalid arguments passed in /home/bairral/www/blog/wp-content/themes/ZenHealth/footer.php on line 1